Conheça ROSE PIZEM a menina que ninguém queria

0
104

A menina Rose Pizem, de 4 anos, já havia desaparecido há 3 meses. No entanto, o caso só foi reportado à polícia israelita quase dois meses após a ausência da menina, e pela sua bisavó Vivien Yaakov.

As primeiras investigações incidiram imediatamente sobre a família mais próxima, mãe, Marie-Charlotte Renault, de 23 anos e o avô, Roni Ron, de 45 anos. No entanto, o que vieram a descobrir revela uma história familiar complexa e macabra.

Rose nasceu na França, filha da francesa Marie e do israelita Benjamin Pizem. Logo após o nascimento de Rose, os seus pais decidiram viajar para Israel para realizar o desejo de Benjamin de conhecer seu pai biológico, Ronnie Ron. No entanto, já em Israel, Ron mostrou-se mais interessado em Marie.

Conta o relatório que ambos se terão apaixonado, e se envolvido intimamente. No final da sua estadia em Israel Marie anunciou que iria ficar no país, porque queria prosseguir a sua vida ao lado do pai do seu marido. Benjamin regressou a França, com Rose, formalizando o pedido de divórcio.

Nos dois anos seguintes, as grandes dificuldades em criar a filha, levaram Benjamin a entregar a sua guarda, periodicamente, a instituições sociais. Em 2007 Rose, então com três anos, foi hospitalizada, alegadamente, por abusos e negligência do pai.

Marie e Ron, que entretanto haviam casado e já eram pais de dois filhos, requereram a guarda da menina e, após um batalha jurídica, naquele mesmo ano, tiveram autorização para a levar para Israel onde passaria a morar com eles.

Rose, porém, demonstrou graves problemas comportamentais herdados da sua história de abuso. Ela não conseguia comunicar em francês ou hebreu, e demonstrava dificuldades com habilidades motoras básicas. Seguiram-se novas negligências. Depoimentos dos vizinhos da família afirmam que a menina sofreu maus tratos desde que chegou a Israel e que era uma menina triste, frequentemente vista chorando nas escadarias do edifício onde morava.

Confrontados com as dificuldades da menina, o casal decidiu entregá-la à mãe de Ron, Vivian, que cuidou dela vários meses antes de insistir noutra solução, atendendo às necessidades especiais de Rose. Em Maio de 2008, Ron e Vivian tiveram uma discussão séria, e Ron arrumou as coisas de Rose e levou a criança para sua casa. Foi a última vez que Vivian viu a pequena menina.

Três meses depois, após inúmeros telefonemas para Ron e Marie, Vivian decidiu recorrer às autoridades para reportar o desaparecimento da menina.

Ron e Yaakov foram então interrogados. Ron primeiro disse que a matou acidentalmente, depois de lhe ter batido, porque esta estaria a perturbá-lo enquanto conduzia. Mas contou depois que a teria entregue a uma instituição e numa outra versão da história chegou a garantir que a vendera a palestinianos. A polícia tentou despistar todas estas histórias. Assim como a dos testemunhos de vizinhos, que sugeriam que Ron abusaria de Rose.

O avô acabou por confessar no início desta semana que a primeira versão que contou sobre o desaparecimento da menina seria a verdadeira e que lançou o seu corpo ao um rio em Telavive. Neste momento, as autoridades continuam a procurar o corpo da menina em todos os locais, onde o avô disse ter estado com ela, mas sem sucesso.

A revelação de uma vida marcada por abusos, negligências, esquecimentos, tem chocado profundamente o mundo. Este é apenas mais um caso de contornos absolutamente inacreditáveis. Rose viveu apenas 4 anos, mas todos eles verdadeiramente infernais. Que consiga agora um pouco de descanso e que todos os responsáveis pelo seu estado sejam severa e drasticamente punidos.

Caso prefira, veja o vídeo: