15 coisas do dia a dia que foram criadas com propósitos diferentes dos atuais

Coca Cola

© flickr
O farmacêutico John Pemberton, veterano da Guerra Civil dos Estados Unidos, decidiu fazer uma mistura da noz de cola com folhas de coca. O produto final era recomendado para soldados que estavam recebendo morfina para tratamentos envolvendo o sistema nervoso. Mais tarde, ele se envolveu no mercado de bebidas, mas acabou vendendo todas suas ações. Os novos compradores começaram a produzir a Coca-Cola com folhas de coca que não possuíam cocaína, dando início às primeiras versões da bebida que conhecemos hoje.

Vestidos pretos

© rexfeatures © wikimedia

Até os anos 1920, as roupas pretas eram normalmente vestidas como um sinal de luto. Então, em 1926, a Coco Chanel criou seus famosos vestidos pretos curtos. Primeiramente, as peças foram utilizadas por celebridades do cinema, posteriormente caindo na graça popular.

Karaokê

© pexels

O músico japonês Daisuke Inoue costumava tocar para frequentadores de um café, que gostavam de cantar entre as músicas da banda. Certa tarde, ele não conseguiu ir ao café, então ele deu aos seus colegas uma fita com a sua parte. Em 1971, ele inventou uma máquina que tocava a música sem os vocais, então os músicos podiam relaxar enquanto o público cantava ao som da batida.

Play-Doh

© pixabay © depositphotos

O que hoje é uma massa de modelar foi criado com o intuito de servir para limpar papeis de parede. Mas com a chegada dos papeis de parede mais modernos, que demandam o uso apenas de uma esponja, a substância acabou perdendo seu propósito inicial. Foi então que um parente do criador do material decidiu dá-lo a seus alunos para brincar. E eles adoraram! Mais tarde, o detergente presente na composição original foi retirado, e substituído por corante.

Esteiras

© wikimedia © rexfeatures

O protótipo das esteiras que conhecemos atualmente foi criado por Sir William Cubitt, em 1818, para que prisioneiros sedentários tivessem algo para fazer, usando seus músculos para gerar energia em moinhos. Os prisioneiros seguravam em um pedaço de madeira horizontal, enquanto caminhavam em uma espécie de escada interminável.

Post-it

© pixabay © pixabay

Spencer Silver foi um químico que gastou um bom tempo tentando criar uma cola que durasse por muito tempo. Mas por mais que se esforçasse, o resultado nunca era satisfatório. Foi quando seu colega, Arthur Fry, sugeriu que ele utilizasse seus adesivos para colar marcações em seus cadernos e livros. Em pouco tempo, os papeis de recado que hoje conhecemos como post-it’s começaram a aparecer nas lojas do ramo.

Sapatos de salto alto

© pixabay © wikimedia

No Egito Antigo, os sapatos de salto alto eram um sinal de status para os oficiais, que vestiam os sapatos durante rituais religiosos. Isso incluía homens e mulheres. Tais sapatos eram também utilizados para evitar que seus donos caminhassem em cima de sangue, enquanto os persas costumavam usar sapatos desse tipo para atirar com arco e flecha. Na Europa medieval, os sapatos de salto alto eram um privilégio da aristocracia, se tornando popular com o tempo. Finalmente, no século 20, os sapatos que conhecemos hoje em dia começaram a se tornar popular entre o povo em geral.

Plástico bolha

© depositphotos.

O famoso e adorado plástico bolha foi inventado pelos engenheiros Alfred Fielding e Marc Chavannes, em 1957. Inicialmente, a ideia era que ele servisse como um papel de parede 3D, mas ela não funcionou muito bem. Seus inventores então perceberam que o material poderia ser utilizado em embalagens, então patentearam o produto, que acabou se tornando indispensável em diversas áreas.

© depositphotos © wikimedia

Na Mesopotâmia, os travesseiros eram utilizados apenas pelas pessoas mais ricas. Os chineses acreditavam que os travesseiros macios eram inúteis, e preferiam versões mais duras, feitas de bambu, porcelana, madeira ou até mesmo bronze. Eles acreditavam que os objetos serviam como proteção contra demônios.

Vaselina

© wikimedia

No meio do século 19, funcionários de plataformas de petróleo constantemente tentavam evitar a substância que se acumulava nas bombas. Foi então que o químico britânico Robert Chesebrough teve uma ideia. Ele pegou um pouco da “geleia de petróleo”, fez algumas pesquisas, e descobriu que ela possuía propriedades úteis. Como resultado, hoje a vaselina tem diversas utilidades: desde ajudar no tratamento de ferimentos até a limpeza de carpetes.

Molas de brinquedo

© flickr © flickr

Inicialmente, essas molas não eram produzidas como um brinquedo infantil. Richard T. James, engenheiro naval, certa vez estava trabalhando em uma maneira de suspender instrumentos sensíveis a bordo, e acidentalmente deixou cair uma mola de tensão, que se arrastou de forma elegante ao seu redor. Foi aí que surgiu a ideia do brinquedo. A James Spring & Wire Company vendeu mais de 300 milhões desses brinquedos.

Saquinhos de chá

© pixabay

Em 1904, Thomas Sulivan, que trabalhava importando chás e café para Nova Iorque, decidiu vender seus produtos com mais estilo, colocando-os em saquinhos. Seus clientes gostaram da ideia, mas por outra razão: era mais fácil preparar o chá usando o saquinho. Como resultado, as vendas aumentaram, a popularidade subiu e a ideia acabou tomando proporções mundiais.

Listerine

© wikimedia © wikimedia

Esse antisséptico foi inventado em 1879 para limpar instrumentos cirúrgicos. Inclusive foi nomeado em homenagem ao cirurgião Joseph Lister. Entretanto, as pessoas logo perceberam que ele tinha outros potenciais, e começaram a usar o produto para várias coisas diferentes: limpar ferimentos, procedimentos dentários, curar feridas de fungos e até mesmo como desodorante. Se tornou muito popular nos anos 20, nos Estados Unidos, por conta dos apelos publicitários.

Viagra

© depositphotos

A Pfizer estava trabalhando em um tratamento para problemas cardíacos, mas os testes clínicos mostraram que a nova medicação que haviam criado era praticamente inútil para essa finalidade. Entretanto, um efeito colateral pouco comum foi percebido: a substância estimulava de maneira considerável a região pélvica. Foi aí que o famoso medicamento conhecido no mundo todo como Viagra foi inventado.

Microondas

© depositphotos

Poucas pessoas sabem que o forno de microondas, como conhecemos, não foi inventado com esse propósito. O engenheiro Percy Spencer estava testando um equipamento de radar, e percebeu que as microondas de um radar ativo havia derretido uma barra de chocolate em seu bolso. Percy teve então uma ideia: colocou um pouco de milho próximo ao aparelho, e ele começou a estourar imediatamente. Para muitos, essa foi a descoberta do século!

via BrightSide