História de Juliana Wetmore, a menina que nasceu sem rosto – Ela não imaginava a surpresa que teria ao completar 6 anos

downloadJuliana Wetmore nasceu nos Estados Unidos e sofre de uma síndrome chamada Treacher-Collins. Essa síndrome distorce completamente a face, sendo o caso de Juliana o mais grave já registrado.
Durante a gravidez, os médicos já haviam encontrado algumas irregularidades em seu desenvolvimento, mas não podiam ainda imaginar como seria o rosto da pequena Juliana.
O corpo estava em perfeito estado, mas o seu rosto não, pois carecia de vários ossos, distorcendo assim a sua face e levando a insuficiência respiratória.
Segundo os médicos, ela não iria sobreviver a uma noite, mas Juliana lutou e desenganou os médicos.inline_resized_1024_5852eb676bc62_151659
Após 5 dias os seus pais Tami e Thom, puderam segurar a filha em seus braços. Apesar de Juliana ter também problemas auditivos, pôde ver perfeitamente seus pais, pois a síndrome não afetou em nada sua visão, nem mesmo nenhum de seus sentidos.
Em seis anos, ela foi submetida a dezenas de operações e estuda linguagem de sinais numa escola para crianças surdas, onde tem excelentes notas. Mas mal imagina ela que sua vida está prestes a mudar…

Os pais de Juliana ficaram sabendo por meio das redes sociais que uma menina chamada Danica, que possuia a mesma síndrome que Juliana, tinha sido abandonada após o nascimento.inline_resized_1024_5852eb7a810e2_151659 Danica estava num orfanato na Ucrânia, mas ninguém queria adotar.
Então Tami e Thom decidiram visitar o orfanato e após a visita, eles decidem adotá-la.
inline_resized_1024_5852eb81d8492_151659Juliana agora com 12 anos passou por 45 operações, mas tem a sorte de ter uma irmã que a entende! Além disso, a família adotou outras três crianças, sendo uma delas a irmã mais velha de Danica! Eles têm um total de seis filhos, e incentivam cada um deles a viver a vida ao máximo, e mostrando que apesar das diferenças físicas, todos são iguais e merecem ser amados!inline_resized_1024_5852eb8967302_151659

Veja ao vídeo (em inglês)

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • Linkedin
  • Pinterest